Tem carro que é pau pra toda obra, que vira confidente, parceiro das mais altas histórias e até mesmo membro da família! Foi exatamente o que aconteceu com o Corsa Wind 2000 da família de Caio. Aquele amigão que quase ofende se chamar de carro, porque, afinal de contas, ele é parente e tudo!

Conheça a história de hoje:

Minha história se inicia lá em meados de 2008 para 2009, não exatamente comigo ainda, mas sim com minha mãe. Sempre fui com ela de carona ou a pé para escola, pois ela trabalhava na escola onde eu estudava, meus irmãos passaram por isso também. Me lembro que eu morava a mais ou menos 40min da escola a pé, de carro eram uns 15min, inúmeras vezes quando víamos alguém que conhecíamos passando de carro, ela me falava "vai Caio, corre e acena para não perdemos a carona", então um belo dia ela resolveu dar uma apertada nas finanças, tirou sua habilitação e então meu pai apareceu com seu presente, um Corsa Wind cor prata ano 2000, uau... que carro, nossa! Eu, ela, meus irmãos, piramos, nunca mais ir a pé para é escola ou correr atrás de conhecido pedindo carona, então, tudo deu uma melhorada, o tempo passando, então ela resolveu ensinar eu e meu irmão do meio a dirigir, e justamente no Corsa, sem direção hidráulica, (...), mas era O carro para nós, aprendemos, desde então, se tornou uma dor de cabeça para minha mãe, pois todo rolê, queríamos ir de carro para impressionar os amigos, (...) , ela confiava em nós e nos emprestava o carro, nunca deu problema, colocamos roda, farol de milha, somzão, tudo, deixamos o corsinha tinindo, nossos olhos até brilhava quando víamos ele, sempre limpinho, nosso maior xodó, a primeira vez então que minha mãe pegou estrada com ele, nossa que alegria, era o melhor carro mundo para nós, não havia valor físico que valesse, pois o amor por aquele carro era imensurável, primeiro pedido de namoro foi dentro dele, falar que ia para um lugar e acabava indo para outro, (...) primeiro ralado, brigas para ver quem ia dirigir, primeira furada de pneu, enfim, não era só um carro, mas um membro da família, até que chegou aquele dia, quando uma mulher vindo distraída, se apavorou e trocou o freio pelo acelerador, e machucando muito nosso corsinha, nossa que dor aquele dia ao ver nosso Corsa triste, todo amassado, não sabíamos ainda como lidar com aquilo, pois o seguro havia confirmado que o carro não tinha mais jeito, era PT, e que seria levado para o pátio. Nossa eu, meu irmão e minha mãe ficamos desolados, uma tristeza nos tomou conta, vinda de inúmeras lembranças, e grandes momentos com aquele carro, nos despedimos dele, dei um último abraço antes dele subir no guincho, e quando ele foi embora de verdade, uma pequena parte de nós foi junto, pois aquele foi nosso primeiro carro. Enfim, os carros, não podemos ser simplesmente tratados como apenas um objeto de locomoção, eles são muito mais que isso, devem ser respeitados, bem tratados, que assim jamais eles nos deixarão na mão, não importa qual seja o seu carro, o que realmente importa é ter e sempre cuidar muito bem. Esse é um breve resumo da minha história com o nosso Corsa, espero que tenham gostado. Eu tenho um grande sonho, e esse senhor se chama Dodge Challenger, o maior amor da minha vida, e um dia tenho certeza que serei dono de um.

Caio Henrique Barbosa Buccini

Caio Henrique Barbosa Buccini

Mesmo o tão amado e parceiro corsinha de Caio não estando mais fisicamente presente, a gente sabe que quando o amor é grande, fica eternizado no coração e na memória!

E você, conhece alguém que também considera o carro como melhor amigo ou até mesmo como parte da família? Porque a gente conhece váaaarias pessoas!

Em pesquisa com uma mostra de potenciais visitantes do Salão do Automóvel 2018, 88% dos respondentes demonstram uma relação enorme com os veículos. São aquelas que gostam muito mesmo, sabe? Vale reunir a galera para viver junto o grande espetáculo que homenageia o universo e os fãs das quatro rodas!

O Salão do Automóvel 2018 acontece de 08 a 18 de novembro, no São Paulo Expo.

 

Conteúdo proprietário: Reed Exhibitions Alcantara Machado
Criação: Danielle Cirilo

Facebook Comments